quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 386

Hoje é quinta feira. São 08:04.

Estou no consultório Psicologia e Coaching sentada a mesa.

Ao meu lado direito, uma porta aberta. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes apagadas e tudo silencioso.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 385

Hoje é quarta feira. São 07:55.

Estou no consultório Psicologia e Coaching sentada na recepção.

Ao meu lado direito, minha mochila no chão. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira com minha chave em cima. Na minha frente, um corredor por onde as pessoas passam.

Por aqui, silêncio.

O celular bipa. Whatsapp da Elen.

Por aqui, silêncio.

Agora são 08:05.

Estou na sala de atendimento, sentada a mesa.

Ao meu lado direito, uma porta aberta. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, silêncio.

O celular bipa. Whatsapp do Rafael.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. Whatsapp do Rafael.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. Whatsapp do Rafael.

Volto ao silêncio.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Em observacao, no Infnet - 89

Hoje é terça feira. São 12:14.

Estou no Infnet, sentada no segundo andar.

Ao meu lado esquerdo, uma porta fechada. Ao meu lado direito, uma mulher sentada. Na minha frente, um vão por onde as pessoas passam.

- Que ontem ele deu um tiro na gente, né? E hoje ele vai dizer o projeto. E vai começar banco de dados né? A gente tem que estudar. Começar a estudar essa questão. Vamos ver, né? Vai ter que usar aquela parada que o Miguel falou. E aí querido, dormiu? Tá com cara de quem quer dormir mais. Tava pensando nisso. É pappo par este moço. Eu dormi ontem. Hoje é que a gente vai ter que começar a caminhar. Vai dar certo gente. Eu vi. Quase. Não foram cinco. Tu caminha todo dia de manhã? Vai dar tempo. Eu sou louca por caminhada. É. É o que eu faço também. Anormal. O tamanho das pernas. Igual ontem o Miguel subindo as escadas. Calma, vara, a sua perna é maior que a minha. 

Agora sao 13h42.

Estou no Infnet, sentada na sala 211.

Ao meu lado direito, um vão. Ao meu lado esquerdo, um vao. Na minha frente, os candidatos fazendo teste.

Estalo um beijo.

Por aqui, silencio.

- Oi. 

- Oi.

- Oi.

Por aqui, silencio.

- Oi. Pode. Pode.

- Oi, tou indo. Pode passar para a seguinte. Pode.

O celular bipa. Whatsapp do Wesley. 

Por aqui, silencio.

O celular bipa. Whatsapp do Roberto.

Silencio.

O celular bipa. Whatsapp do Wesley e do Roberto.

Por aqui, silencio.

O celular bipa. Whatsapp do Grupo Psi.

Por aqui, silencio.

Em observação, no Infnet - 88

Hoje é segunda-feira. São 19:13.

Estou no Infnet, sentada à mesa, no DPED.

Ao meu lado direito, um corredor por onde as pessoas passam. Ao meu lado esquerdo, parede. Na minha frente, a cadeira da Joana, vazia.

- Foi um prazer, amiga.

Quilder passa ao meu lado direito.

- Beijos.

Luana passa ao meu lado direito.

- É. Tudo vinte e nove.

Quilder passa ao meu lado direito.

- Tá chorando, Fabito? Ah, é? Eu tenho Naldecon aqui, você quer? Ah, sim. Sério? Entendi. 

Quilder passa ao meu lado direito. Ele é mulato, alto, um pouco gordinho. Tem o cabelo grisalho e usa óculos. Veste blusa pólo vermelha, calça jeans preta e tênis preto. 

Quilder passa ao meu lado direito. Ele é mulato, alto, um pouco gordinho. Tem o cabelo grisalho e usa óculos. Veste blusa pólo vermelha, calça jeans preta e tênis preto. 

O celular bipa. Whatsapp do André. 

O celular bipa. Whatsapp do André. 

Quilder passa ao meu lado direito. Ele é mulato, alto, um pouco gordinho. Tem o cabelo grisalho e usa óculos. Veste blusa pólo vermelha, calça jeans preta e tênis preto.

Quilder passa ao meu lado direito. Ele é mulato, alto, um pouco gordinho. Tem o cabelo grisalho e usa óculos. Veste blusa pólo vermelha, calça jeans preta e tênis preto.

- Aí ele vai ter que ir na Controladoria, né?

Quilder passa ao meu lado direito, carregando um caderno. Ele é mulato, alto, um pouco gordinho. Tem o cabelo grisalho e usa óculos. Veste blusa pólo vermelha, calça jeans preta e tênis preto. Passa novamente.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 384

Hoje é sexta feira. São 07:53.

Estou no consultório Psicologia e Coaching sentada a mesa.

Ao meu lado direito, uma porta aberta. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Paciente chegou.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 383

Hoje é quinta feira. São 19:38.

Estou no consultório Psicologia e Coaching sentada a mesa.

Ao meu lado direito, uma porta aberta. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Em observação, no Infnet - 87

Hoje é quarta-feira. São 18:54

Estou no Infnet, sentada à mesa, no DPED.

Ao meu lado direito, um corredor por onde as pessoas passam. Ao meu lado esquerdo, parede. Na minha frente, a cadeira da Joana, vazia.

O celular bipa. Telegram da Branca.


O celular toca. Ligação do Roberto.


O celular bipa. Telegram da Branca.


- Pra você também. Obrigada. Beijos.


O celular bipa. Telegram da Branca.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 382

Hoje é terça feira. São 07:51.

O celular bipa. Messenger da Fernanda.

Estou no consultório Psicologia e Coaching.

O celular bipa. Messenger da Fernanda. Whatsapp do grupo negócios de Psicólogos. Messenger da Fernanda.

Paciente chegou.

Em observação, no metrô

Hoje é segunda feira. São 11:18.

Estou no metrô da Carioca, sentada na plataforma. 

Ao meu lado direito, uma mulher sentada. Ao meu lado esquerdo, um homem sentado. Na minha frente, a plataforma por onde as pessoas passam. 

A mulher sentada ao meu lado direito, vê um vídeo no celular.

Meu celular bipa. Whatsapp do André.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Em observação, no Psicologia e Coaching - 381

Hoje é sábado. São 12:11.

Estou no consultório Psicologia e Coaching sentada a mesa.

Ao meu lado direito, uma porta aberta. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, silêncio.