segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 151

Hoje é segunda feira. São 07:52h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes apagadas e tudo silencioso.

O celular bipa. Whatsapp do André.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. Notificação da agenda.

Volto ao silêncio.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 150

Hoje é sábado. São 09:20h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma porta aberta. Na minha frente, duas cadeiras vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

Paciente chegou.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 149

Hoje é terça-feira. São 19:53h

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

Paciente chegou. 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 148

Hoje é segunda-feira. São 19:46h

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

Em observação, na Neide's Coiffeur - 10

Hoje é sábado. São 12:48h.


Estou no salão Neides Coiffeur, sentada fazendo o cabelo.


Ao meu lado direito, o carrinho do Moisés. Ao meu lado esquerdo, Moisés. Agora está do meu lado direito. Atrás de mim, um corredor por onde as pessoas passam.

Moisés é moreno, alto, magro, cabelo curto, preto. Veste calça jeans, blusa preta e tênis preto.

- Tá lorissima, hein?

- Não é? Adoro.

Moisés agora está atrás de mim.

- Elaine tem um com olho bom pra maquiar, né?

Moisés está ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

- Boa tarde. Tudo bem.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Moisés está atrás de mim, pintando meu cabelo.

- Luana, você aceita uma água, um café?

- Não, meu amor. Obrigada.

- Passo nele todo?

- Passa, por favor.

Moisés sai de trás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Um homem passa atrás de mim.

Uma mulher ao meu lado esquerdo. É negra, baixa.

Uma mulher passa atrás de mim.

Um homem passa atrás de mim. É negro, alto, magro. Cabelo preto, preso num coque. Usa óculos.

Uma mulher passa atrás de mim. Passa novamente. É mulata.

Moisés passa atrás de mim. Passa novamente.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É negra, baixa, um pouco gorda. Tem o cabelo cacheado e curto.

Uma mulher passa atrás de mim. É mulata, magra e cabelo cacheado, curto.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É negra, baixa, um pouco gorda. Tem o cabelo cacheado, curto e loiro. Veste calça legging preta, blusa preta e sandália marrom. Passa novamente.

Uma mulher passa atrás de mim. É branca.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É negra, baixa, um pouco gorda. Tem o cabelo cacheado, curto e loiro. Veste calça legging preta, blusa preta e sandália marrom.

Moisés passa atrás de mim. Passa novamente.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim. É branca, baixa.

Moisés passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim.

Moisés passa atrás de mim carregando um secador de cabelo.

Moisés passa atrás de mim.

- Quer que eu saía daqui, Moisés?

- Não, pode ficar.

Uma mulher passa atrás de mim.

Moisés passa atrás de mim.

Uma mulher passa atrás de mim carregando sacos e comendo sorvete. É mulata, magra, alta, cabelo preto, comprido e liso.

Uma mulher passa atrás de mim. É branca.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 147

Hoje é sexta-feira. São 08:21h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma porta aberta. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

O celular bipa. E-mail que chegou.

O netbook bipa. E-mail que chegou.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. Whatsapp de paciente.

Volto ao silêncio.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 146

Hoje é segunda-feira. São 07:48h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes apagadas e tudo silencioso.

sábado, 12 de dezembro de 2015

Em observação, no salão Ale Coiffeur - 6

Hoje é sábado. Estou no salão Ale Coiffeur.

Estou sentada fazendo unha.

Ao meu lado direito, uma cadeira vazia. Na minha frente, Ana faz minha unha. Ao meu lado esquerdo, uma mulher.

A Ana é mulata, magra, baixa.

- É verdade. É verdade. É. A gente está sempre se levantando. Alto astral, né? É só não se entregar, né? A vida já é tão curta. Agora mesmo fui a Brasília só pra participar de três festas. Festa de família. Festa de 60 anos, festa de 72 e um halloween. Tinha 150 pessoas. Na casa da minha prima. Tem um filósofo francês que diz que quem não tem história pra contar não viveu a vida. Tem o esposo da minha prima que é fantástico. Mas ele é muito equilibrado. Um homem de 74 anos, e ele é alegre. Ontem liguei pra ele e ele falou que saudades, quando é que você volta?

- Será que mudou o cardápio aqui no sábado? Ah não.

- Ah, eu amo. Carne moída, um puré, uma salada. É. E são gostosas. Esse aqui? Melancia. Eu gosto de olhar a mão das pessoas, esse rosinha dela. Eu vou colocar vermelho. Os outros tem que passar alegria né? Coisas boas.

- Relaxa, gata. Se não, paro de lixar. Vê como você relaxa? Palhaça. Fala Luana?

- Nada.

- Né nada. Me dá o pé.

- É, eu gostaria. Eu fui na endócrino, ela já me receitou vitamina. Eu fiz até biópsia. Quando eu chego de viagem, eu faço meu check-up. Lá em SP eu fico em Santana. Meu filho é piloto da aeronáutica. Obrigada. Já é coronel. Tem 47 anos. Não. Tem a outra filha. A outra filha tem 45. Seis netos. Verdade. É. Fiquei viúva cedo. Não, Deus me livre. Tive um bom casamento. Tive namorado. Falava em casamento, eu saía fora. Tá. Obrigada. Mas que simpática essa cor. Um vermelho suave. Estão sempre lançando cores novas. Sinal de que está saindo bastante. Eu não acho bom. É só nome. E estava vencido, desde 2011, e tudo nas bolsinhas, tive que jogar tudo fora. Não, é perigoso.

- Olá. Tá tão quietinho. Ah é? Tá só escutando a gente falar, né? Ainda bem que a gente não está falando mal de você... Dá pra fazer a mão agora, Tânia, quer?

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Em observação, na dentista - 7

Hoje é sexta feira. São 07:44.

Estou no consultório da dentista, sentada na recepção.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, um corredor por onde as pessoas passam.

Dra Grazieli passa na minha frente. Ela é branca, alta.

Cristiane passa na minha frente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente. Passa novamente.

Dra Paula passa na minha frente.

- Bom dia.

- Bom dia.

Cristiane passa na minha frente. Passa novamente. Passa novamente.

Uma mulher passa na minha frente.

Cristiane passa na minha frente.

- Senti isso também.

Cristiane passa na minha frente.

- Qual?

Cristiane passa na minha frente.

- Humm... Que droga...

Cristiane passa na minha frente.

- Imagino...

Cristiane passa na minha frente. Passa novamente. Passa novamente. Ela é morena, alta.

- Bom dia.

Uma mulher senta ao meu lado esquerdo. É mulata, magra, baixa, cabelo preto, comprido e liso. Veste calça jeans, blusa cinza, sapato algo bege. Mochila marrom sobre o colo. Levanta e passa na minha frente. Passa novamente. Ao meu lado esquerdo agora tem uma mochila marrom, casaco preto e celular. A mulher senta novamente. A mochila marrom e o casaco sobre seu colo. E bebe água. Pega o celular e mexe nele. Está no whatsapp. Uma mulher passa na minha frente.

Dra Paula passa na minha frente.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 145

Hoje é segunda-feira. São 19:47h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

O netbook bipa. E-mail que chegou.

Volto ao silêncio. 

Paciente chegou.

sábado, 5 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 144

Hoje é sábado. São 08:57h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Em observação, no Infnet - 13

Hoje é sexta feira. São 11:52h.

Estou no INFNET, sentada no segundo andar.

Ao meu lado esquerdo, parede. Ao meu lado direito, um corredor por onde as pessoas passam. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Um homem passa ao meu lado direito.

- Olá.

Oi, tudo bem?

Ele é mulato, alto.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Em observação, na rua Uruguaiana - 4

Hoje é quinta feira. São 8:59h.

Estou na rua Uruguaiana, sentada num banco.

Ao meu lado direito, um banco vazio. Ao meu lado esquerdo, um vão por onde as pessoas passam. Na minha frente, a rua por onde as pessoas e os automóveis passam.

Um carro forte passa na minha frente.

Dois homens em uma moto passam na minha frente.

Um homem passa na minha frente. É mulato, magro, alto. Veste calça jeans e casaco marrom.

Um táxi Safira passa na minha frente.

Um casal na moto passa na minha frente.

Um homem na moto passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente. É branco, cabelo branco.

Um casal na moto passa na minha frente.

Um homem na bicicleta passa na minha frente.

Uma moto com um homem passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente. É branco, alto, magro, cabelo preto liso. Veste calça jeans.

Um carro Gol preto passa na minha frente.

Um homem na moto passa na minha frente.

Um homem na bicicleta.

Um homem passa na minha frente. É mulato, magro, alto, cabelo preto e curto.

Uma moto.

Uma moto.

Um homem na moto passa na minha frente.

Um carro Fox cinza passa na minha frente.

Uma moto.

Uma moto.

Um homem passa na minha frente. É mulato, alto, magro, cabelo preto, curto.

Uma bicicleta.

Um homem na moto passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente. É branco, baixo, gordo.

Um carro Doblô branco passa.

Um homem na moto passa na minha frente.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 143

Hoje é terça-feira. São 18:53h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

O netbook bipa. E-mail que chegou.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. Notificação da agenda.

Volto ao silêncio.

O celular bipa. E-mail que chegou.

Volto ao silêncio.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 142

Hoje é segunda-feira. São 19:57h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

sábado, 28 de novembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 141

Hoje é sábado. São 11:04h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Em observação, na dentista - 6

Hoje é sexta feira. São 07:44h.

Estou no consultório da dentista, sentada na recepção.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira com uma almofada em cima. Na minha frente, um corredor por onde as pessoas passam.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Em observação, no Infnet - 12

Hoje é segunda feira. São 16:52h.

Estou sentada no auditório do INFNET.

Ao meu lado direito, uma mesa e cadeira. Ao meu lado esquerdo, uma porta por onde as pessoas passam. Na minha frente, um vão por onde as pessoas passam.

Fábio passa pela porta e entra. Passa pela porta e sai.

- Tchau, vai com Deus. Até amanhã.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Em observação, na Avenida das Américas

Hoje é sábado. São 08:19h.

Estou na Avenida das Américas, sentada no ponto do ônibus em frente ao Barra Shopping.

Ao meu lado direito, um banco vazio. Ao meu lado esquerdo, um vão. Na minha frente, um corredor por onde as pessoas passam.

Um homem passa na minha frente. É negro, alto, magro, cabelo preto, curto. Veste bermuda branca, quadriculada, blusa laranja e tênis branco. Passa na minha frente novamente.

Uma mulher para no vão ao meu lado esquerdo.

Um homem passa na minha frente. É negro, alto, magro, cabelo preto, curto. Veste bermuda branca, quadriculada, blusa laranja e tênis branco. Passa novamente.

Um homem passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente. É mulato.

Uma mulher passa na minha frente. É negra, alta, magra, cabelo curto tipo black power. Passa novamente.

Uma mulher passa na minha frente e senta ao meu lado direito. É branca, baixa, magra.

Um homem passa na minha frente.

A mulher ao meu lado direito levanta e sai.

A mulher ao meu lado esquerdo sai.

Uma mulher passa na minha frente. É branca, magra, alta e loira, com cabelo liso. Usa óculos escuros. Veste calça jeans, blusa estampada, chinelo.

Um homem passa na minha frente. É branco, magro, alto, cabelo castanho e usa óculos escuros. Veste calça preta, blusa azul e tênis vermelho.

Uma mulher passa na minha frente. É branca, baixa, magra, loira, cabelo liso e usa óculos. Passa novamente.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Em observação, no Psicologia e Coaching - 140

Hoje é quinta-feira. São 19:49h.

Estou no consultório Psicologia e Coaching, sentada à mesa.

Ao meu lado direito, parede. Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Na minha frente, uma cadeira vazia.

Por aqui, luzes acesas e tudo silencioso.

sábado, 14 de novembro de 2015

Em observação, no salão Ale Coiffeur - 5

Hoje é sábado, são 10:43h.

Estou no salão Ale Coiffeur, sentada.

Ao meu lado direito, Zenilda. Ao meu lado esquerdo, Damiana. Na minha frente, um espaço vazio.

Zenilda: - Sério. Só saio pra comer. Sou igual criança. Eu amo. Como frango a passarinho, linguiça, batata frita. No outro dia, minha irmã disse. Ah, eu como. Ali naquele barzinho aqui a gente divide uma costela no bafo. É o namorado? O filho? Quantos anos tem teu filho? 18? Ah... É assim mesmo, ta aprendendo ainda. Existe gente pra casar?

Zenilda é branca, magra, baixa, cabelo curto, liso, castanho. Veste um macacão curto, azul, florido. Ela tosse.

Zenilda: - Muito gozado, cara. Esses adolescentes. Quantos anos ele tem? Educador físico? É um projeto? Tem. Apesar de que lá tem escola técnica. Ah é? Legal. Não sabia que lá tem não. Cruz vermelha. Eu te mandei um dois ou três lugares. Dá uma lida na porra porque eu não sei. Bom dia.

Damiana é mulata, alta, magra, cabelo preto, liso, preso num coque. Veste calça e blusa preta.

Zenilda: - Com certeza. Lá em casa é todo dia de besteirinha. Nossa, minha filha afora fandangos e eu também. Fala.

Zenilda ri.

Zenilda: - Até você explicar...

Zenilda ri.

Zenilda: - Vou contar pró meu pai é ótimo. Contando seu caso pra ele. Não... Ainda mais se ele for a favor do pai. Torcida toda do flamengo sabia. Pai tenho uma coisa pra te contar. Gente, pensou que tivesse... É horrível. O cero é tanta coisa. Depende do ângulo. Sempre tem. 

Zenilda ri.

Zenilda: - Cadê Margaret, não vem não? Ah... Eu sempre encontro ela aqui... A gente fica rindo ali fora, não encontrei com ela. Você viu aí? Ah, não gosto de tirar também não. Fica tudo borrado. Ah, já estou com fome. Mas chego em casa já está tudo pronto. Minha filha mais velha parece um coelho. Gosta de cenoura, beterraba, broto de bambu. Mas ela gosta. A outra não. A mais nova gosta de linguiça. Só gordice. Amanda é. Mas Amanda tem muito problema de estômago. Parece que sabe, né? Natureza. Deixo esse ou troco? Dá mais firmeza. Mentira, sério? Não, mas foi te falando aquele que você tava, estreitinho. Que dor de cabeça,  cara... Tem tanto grupo, porque tem que desligar. Cara, e às vezes eu não abro e tem 70 mensagens. Eu não consigo nem acompanhar. Não. Não foi não. Foi ela, a a Ana. Eu fiz assim, botei assim. Botei dentro. Foi ela que botou. É? Nossa... Quem, ele ou você? Também gostei. Diferente né?

Zenilda levanta e vai embora. Agora, ao meu lado direito esta vazio.

Damiana, ao meu lado esquerdo, fazendo a unha.

Damiana: - Ele é inteligente pra caramba. O Brasil da Dilma... Parece até a Dilma falando. Criança dessa idade....

Damiana ri e tosse.

Damiana: - Eles são fogo...

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Em observação, no Hospital São Lucas

Hoje é sexta feira. São 21:45h.

Estou no Hospital São Lucas, sentada na emergência.

Ao meu lado direito, uma cadeira vazia. Ao meu lado esquerdo, parede. Na minha frente, uma cadeira vazia.

O celular bipa. Whatsapp do André.

Agora são 22:42. Estou sentada na emergência do hospital.

Ao meu lado direito, uma cadeira vazia. Ao meu lado esquerdo, um corredor por onde as pessoas passam. Na minha frente, um corredor por onde as pessoas passam.

Um homem passa na minha frente e ao meu lado esquerdo.

Um homem e duas mulheres passam na minha frente.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa na minha frente.

Um homem e uma mulher passam ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo e na minha frente. É mulata, alta, meio gordinha.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É branca, baixa, magra. Tem cabelo castanho, liso, preso num coque. Veste calça azul.

Um homem passa na minha frente carregando uma cadeira de rodas. Passa ao meu lado esquerdo.

Três mulheres passam ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Um homem passa na minha frente.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É negra, baixa. Está grávida. Tem cabelo preto, preso em rabo de cavalo. Veste calça azul. Blusa azul. Sapato branco.

Dr. Marcelo passa ao meu lado esquerdo. Passa novamente.

Um homem passa ao meu lado esquerdo. É branco, alto, magro. Cabelo castanho escuro. Usa óculos. Veste calça jeans e jaleco.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É branca, baixa, magra, cabelo preto.

Um homem passa ao meu lado esquerdo. É branco, alto, magro. Cabelo castanho.

Uma mulher passa na minha frente.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo e na minha frente e senta ao meu lado direito.

Um homem passa na minha frente. É branco.

Um homem passa ao meu lado esquerdo. Passa novamente.

Dr. João passa ao meu lado esquerdo.

Um homem passa na minha frente.

Um homem passa ao meu lado esquerdo.

Um homem passa na minha frente.

Um homem passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.

Um homem passa ao meu lado esquerdo. É branco, baixo, magro.

A mulher ao meu lado esquerdo levanta e sai.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo. É negra, baixa, magra. Tem cabelo preto num rabo de cavalo.

Um homem passa ao meu lado esquerdo e na minha frente. Passa novamente.

Um homem passa ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa na minha frente.

- Tou achando também. É...

Duas mulheres e um homem passam ao meu lado esquerdo.

Uma mulher passa na minha frente. É negra, baixa, magra.

Um homem passa na minha frente. É branco, baixo, magro. Passa novamente.

Uma mulher passa ao meu lado esquerdo.