segunda-feira, 27 de junho de 2016

Em observação, na Praça Saens Pena

Hoje é sábado. São 09:11h.

Estou na Praça Saens Peña, sentada no canteiro.

Ao meu lado direito, um espaço vazio. Ao meu lado esquerdo, um espaço vazio. Na minha frente, a calçada por onde as pessoas passam.

Uma mulher passa na minha frente carregando uma caixa.

Duas mulheres passam.

Uma mulher passa na minha frente. É branca.

Uma mulher passa na minha frente. É branca, baixa.

Um homem passa na minha frente. É branco.

Um homem passa na minha frente. É branco, baixo, magro.

Três mulheres.

Uma mulher passa na minha frente. É negra, baixa, magra. Veste calça preta, blusa florida.

Uma mulher passa na minha frente. É branco, baixa, magra.

Um homem.

Duas mulheres.

Duas mulheres.

Uma mulher.

Uma mulher.

Um homem passa.

Uma mulher e um homem passam na minha frente.

Duas mulheres passam na minha frente. Uma delas carrega uma bolsa.

Uma mulher passa na minha frente. É mulata.

Uma mulher.

Uma mulher passa na minha frente carregando uma bolsa e uma casinha de animal.

Uma mulher passa na minha frente.

André chegou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário