quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O menino do M&M's

Uma quinta-feira. Dessas bem incomuns. 
Ruim. Boa. Ótima. 
Tudo isso num único dia.

Um bar diferente.
O cenário, de sempre. A praia que amo. Que amamos.
Um friozinho quase desagradável.

Vem um pingo de gente.

- Quer um MM's?
- Quanto é, cara?

Ele faz "3" com os dedos da mão. E a caixa de sapatos, com três MM's dentro.

Ele tira dois reais de dentro da carteira e entrega.

- É três, amor.
- Ah...

Pega mais um real dentro da carteira e entrega.

- Valeu, amigão.
O menino deixa o MM's e sai.

Cerca de quarenta minutos depois, volta, e se debruça nas nossas cadeiras...

- Oi, cara. E aí?
- Me roubaram.
- Os MM's?

Fez que sim com a cabeça.

- Como?
- Fui mijar. E levaram os MM's.
- Não podia mijar com a caixa?
- Ia molhar, né?
- Ué, segurava a caixa.
- E o pinto?
- A caixa numa mão. O pinto na outra.
- Mas e baixar o short e tal? E se deixasse a caixa perto, molhava com o mijo. Não deu. Levaram.
- Os MM's?
- Sim. E eu fui só mijar.
- Sacanagem, né?

Fez que sim com a cabeça.

- Quantos anos você tem?
- Seis.
- Qual seu nome?
- Iuri.
- Cadê seus pais, Iuri?
- Tão ali. 

Apontou para o calçadão.

- Trabalhando?
- Pedindo. Melhor que roubar, né?
- É.
- Meu pai correu atrás do ladrão do MM's, mas não conseguiu. E o guarda falou que o ladrão tava certo de ter levado, que eu dei mole. Mas eu tava mijando, pô.
- É, sacanagem.

Nosso cardápio de hoje tinha sido filé mignon, com queijo e batata frita, na chapa.

- Toma, carne, Iuri.

Ele comia, e conversava, com a gente.
E eu ia colocando mais carne na mão dele.
E ele comendo.
E conversando.
E se pendurando nas nossas cadeiras.
E conversando. Do roubo. Do mijo. Do pinto. Dos MM's. Dos pais pedintes. Do ladrão. Do polícia.

Veio um menino mais velho.

- Me dá uma carne dessa aí, Iuri.
- Esse é meu irmão.
- Toma, carne pra você. Deixa o Iuri com a dele. Tem carne aqui, toma.
- Obrigado.

- Deu de carne, né, Iuri? Já comeu pra caralho.
- É, obrigado.

Iuri, um mini-ser-humano, de seis. Vendendo seus MM's.
Um menino doce, querido. Conversador. Gentil. 

Só queria dar a sua mijada. E vender seus MM's. 
Foi roubado.
E ganhou carne. Ele e o irmão.
Não deu pra alimentar ele o tiquinho de carne.

Mas adoçou a gente com a sua conversa e seu MM's.

Nenhum comentário:

Postar um comentário