sábado, 14 de novembro de 2015

Em observação, no salão Ale Coiffeur - 5

Hoje é sábado, são 10:43h.

Estou no salão Ale Coiffeur, sentada.

Ao meu lado direito, Zenilda. Ao meu lado esquerdo, Damiana. Na minha frente, um espaço vazio.

Zenilda: - Sério. Só saio pra comer. Sou igual criança. Eu amo. Como frango a passarinho, linguiça, batata frita. No outro dia, minha irmã disse. Ah, eu como. Ali naquele barzinho aqui a gente divide uma costela no bafo. É o namorado? O filho? Quantos anos tem teu filho? 18? Ah... É assim mesmo, ta aprendendo ainda. Existe gente pra casar?

Zenilda é branca, magra, baixa, cabelo curto, liso, castanho. Veste um macacão curto, azul, florido. Ela tosse.

Zenilda: - Muito gozado, cara. Esses adolescentes. Quantos anos ele tem? Educador físico? É um projeto? Tem. Apesar de que lá tem escola técnica. Ah é? Legal. Não sabia que lá tem não. Cruz vermelha. Eu te mandei um dois ou três lugares. Dá uma lida na porra porque eu não sei. Bom dia.

Damiana é mulata, alta, magra, cabelo preto, liso, preso num coque. Veste calça e blusa preta.

Zenilda: - Com certeza. Lá em casa é todo dia de besteirinha. Nossa, minha filha afora fandangos e eu também. Fala.

Zenilda ri.

Zenilda: - Até você explicar...

Zenilda ri.

Zenilda: - Vou contar pró meu pai é ótimo. Contando seu caso pra ele. Não... Ainda mais se ele for a favor do pai. Torcida toda do flamengo sabia. Pai tenho uma coisa pra te contar. Gente, pensou que tivesse... É horrível. O cero é tanta coisa. Depende do ângulo. Sempre tem. 

Zenilda ri.

Zenilda: - Cadê Margaret, não vem não? Ah... Eu sempre encontro ela aqui... A gente fica rindo ali fora, não encontrei com ela. Você viu aí? Ah, não gosto de tirar também não. Fica tudo borrado. Ah, já estou com fome. Mas chego em casa já está tudo pronto. Minha filha mais velha parece um coelho. Gosta de cenoura, beterraba, broto de bambu. Mas ela gosta. A outra não. A mais nova gosta de linguiça. Só gordice. Amanda é. Mas Amanda tem muito problema de estômago. Parece que sabe, né? Natureza. Deixo esse ou troco? Dá mais firmeza. Mentira, sério? Não, mas foi te falando aquele que você tava, estreitinho. Que dor de cabeça,  cara... Tem tanto grupo, porque tem que desligar. Cara, e às vezes eu não abro e tem 70 mensagens. Eu não consigo nem acompanhar. Não. Não foi não. Foi ela, a a Ana. Eu fiz assim, botei assim. Botei dentro. Foi ela que botou. É? Nossa... Quem, ele ou você? Também gostei. Diferente né?

Zenilda levanta e vai embora. Agora, ao meu lado direito esta vazio.

Damiana, ao meu lado esquerdo, fazendo a unha.

Damiana: - Ele é inteligente pra caramba. O Brasil da Dilma... Parece até a Dilma falando. Criança dessa idade....

Damiana ri e tosse.

Damiana: - Eles são fogo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário