segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Em observação, no Canne e Gatto - 2

Hoje é domingo, são 11:14.

Estou no Canne e Gatto, sentada na recepção.

Ao meu lado esquerdo, uma cadeira vazia. Ao meu lado direito, André sentado.

- Se um deles vem pra casa com um adereço diferente, o outro sente o cheiro diferente.

Hanna senta ao meu lado esquerdo.

- A gente tenta a todo custo não colocar o colar elisabetano que aquilo ali é muito agressivo.

Hanna boceja.

André pega o celular. Funga.

Hanna abaixa para brincar com o Gil.

- Você. Como é que é ?

Hanna pega o celular e joga.

- Ah, ta tendo Toca Raul.

- Que legal.

André funga. 

- Ui, desculpa.

André funga.

Um homem passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente, carregando uma casinha de gato. Ele é branco, alto, magro, cabelo castanho. Veste bermuda marrom, blusa cinza e chinelo. A casinha é cinza e vermelha.

André guarda o celular e pega o livro. Funga.

Hanna funga.

André funga.

Hanna funga. Se coça. 

André funga.

Hanna funga.

André funga.

Hanna funga. 

André funga.

Um homem passa na minha frente. É branco, magro, alto, cabelo branco e usa óculos. Veste bermuda.

Uma mulher e um homem passam na minha frente. Ela é branca, magra, baixa.

André funga.

Hanna funga.

André pega o celular no bolso e olha o celular. Guarda o celular no bolso. Funga.

Uma mulher passa na minha frente. Passa novamente. Ela é branca, magra.

- Coloca embaixo de você, pequena, para não ficar chutando.

Um homem passa na minha frente. Passa novamente.

Hanna tosse.

André funga.

Hanna funga.

Uma mulher passa na minha frente.

Hanna boceja.

André funga.

Uma mulher passa na minha frente.

Um homem passa na minha frente. 

- Ah, tá legal. Obrigado.

André funga.

Hanna boceja.

André funga.

Uma mulher passa na minha frente. Passa novamente. Ela é branca, baixa, magra, cabelo preto, liso, na altura do ombro.

André funga.

Uma mulher passa na minha frente. Ela é branca. Passa novamente. Ela é branca, magra.

Hanna boceja.

André funga. Pega o celular no bolso e mexe. Guarda o celular.

- Ah lá.

- Deus me livre.

Hanna pega o celular.

André abre o livro e começa a ler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário