sexta-feira, 8 de março de 2013

A moça das unhas

Este é o primeiro dos posts sem nome próprio. Não que ela não exista. Ela existe, na vida real.

A conheci num curso que fizemos juntas. Já a conhecia antes, pela internet. Tinha concedido uma entrevista para o trabalho dela. Pessoalmente, no entanto, foi a primeira vez. 

Estava com o filho, um pré(-adolescente) de 13, 14 anos? Fiquei hipnotizada pelos olhos do pequeno. Além de muito simpático, comunicativo, e sensível, ele tinha olhos expressivos, atentos, inquietos. Nunca mais os vi - mãe e filho. Mas, com a mãe, falo sempre. Uma amiga, ainda que distante, querida.

Essa noite ela veio me visitar. Ela é uma mulher bonita. Não tipo mulherão. Mas é bonita. Seu olhar, também, sorri, mesmo quando ela permanece silenciosa. 

Vinha, então, à minha casa. Era de noite, mas um dia quente. Usava uma saia  longa, de fundo lilás, com flores pequenas. Uma blusa justinha, branca. Um chinelo havaiana. Os cabelos loiros, lisos e curtos, quase secos, recém saídos do banho. As unhas, longas, pintadas de um lilás discreto, mas envolvente. As unhas me chamaram a atenção. E ela me mostrava as unhas, dobrando os dedos longos e finos. 

Ela veio à minha casa, me visitar, papear. Escolhemos como lugar da conversa o banheiro. Não sei bem por qual motivo. Ela escolheu um banquinho, rente ao chão, sentou ali e esticou as pernas, para frente. Logo, notei suas unhas.

Não lembro bem os assuntos que conversamos. O que mais marcou desta noite de conversa, foi o seu olhar amoroso, ao longe, falando do esposo e do filho. Não foi uma longa visita e conversa, mas foi bom. Reencontrar a amiga e ver a sua alegria e amor com que vive a vida é sempre muito bom.

No final, ambas em silêncio, ela des-silenciou:

- Nossa, que lindo, me vi, agora, nessa cena como um filme.

- Vou fotografar você então.

E ei-la aqui. 

2 comentários:

  1. Amei quando você me contou seu sonho comigo e agora chorei, emocionada, ao ler seu conto! Você é uma pessoa muito especial!

    ResponderExcluir