terça-feira, 4 de março de 2014

Em observação, na Caixa

Hoje é terça-feira. São 11h01.

Estou na Caixa, no 21º andar, da Superintendência, sentada na recepção.

Aqui, não há ninguém. Na minha frente, duas cadeiras vazias e a mesa da Elisa, a recepcionista. Ao meu lado esquerdo, o hall dos elevadores. Ao meu lado direito, duas cadeiras vazias e o andar da Caixa, com as salas.

Um senhor passa pela minha frente. É magro, mulato, baixo. Usa óculos.

Um senhor passa pela minha frente. É branco, alto, magro, e grisalho. Veste calça jeans, blusa social quadriculada, verde e azul e tênis branco. Ele passa pela minha frente, novamente.

Um senhor passa pela minha frente.

- Vai...

Ele é mulato, alto, magro, cabelo preto. Carrega uma vassoura.

Ninguém na recepção, novamente.

Um senhor passa pela minha frente. É branco, alto, magro, cabelo preto e usa óculos.

Um senhor passa pela minha frente.

Ninguém na recepção, novamente.

Uma senhora passa pela minha frente. É branca, alta, magra, cabelo liso, comprido, preto. Veste uma calça jeans, e salto alto, bege.

Um senhor passa pela minha frente e me cumprimenta, com a cabeça e um sorriso. Eu faço o mesmo. Ele é mulato, alto, forte, cabelo preto, curto. Veste um terno cinza escuro, blusa azul social por dentro e gravata vermelha, e sapato preto.

Ninguém na recepção, novamente.

Uma senhora passa pela minha frente.

- Bom dia.

- Bom dia.

Ninguém na recepção, novamente.

Uma senhora passa pela minha frente.

Um senhor passa pela minha frente. Ele é mulato, magro, baixo, cabelo branco.

Elisa passa pela minha frente e senta na sua mesa, que fica na minha diagonal. Ela é branca, alta, magra, loira e usa óculos.

Um senhor passa pela minha frente.

- Bom dia, tudo bom?

- Bom dia.

Elisa está ao telefone. Desliga. Disca novamente.

- Adriele, ela não chegou não, chegou? Não, né? Não chegou não.

- Não, né?

O telefone toca.

- Recepção. Tá.

Elisa canta baixinho, de forma que não consigo ouvi-la. Ela fica relativamente longe de onde estou sentada.

Uma senhora passa pela minha frente.

- Bom dia.

Um senhor passa pela minha frente.

Uma senhora passa pela minha frente. É branca, alta, baixa, loira, cabelo comprido, liso. Senta nos bancos vazios na minha frente, na diagonal da minha frente.

Um passa pela minha frente. É branco, alto, gordo, e cabelo escuro. Ele passa novamente pela minha frente. Veste calça jeans.

Um senhor passa pela minha frente, carregando quatro placas grandes.

Uma senhora passa pela minha frente. É branca, alta, magra, cabelo preto, liso, comprido. Usa fones de ouvido e está sorrindo.

Elisa passa pela minha frente.

- Deixa eu te fazer uma pergunta. Não entrou nada? Nada? Tá, eu vou ver lá.

Elisa sai da recepção. Agora, só eu e a senhora sentada na minha frente.

Uma senhora passa pela minha frente carregando umas dez pastas. É mulata, baixa, magra, cabelo comprido, encaracolado e cheio. Veste uma calça jeans, blusa de malha lilás e sapatilha bege.

O telefone da recepção toca, mas Elisa não está.

Elisa passa pela minha frente, correndo, e atende o telefone a tempo.

Um senhor passa pela minha frente.

- Bom dia. Vou tirar cópia.

Ele é branco, baixo, magro, grisalho e careca.

Um senhor passa pela minha frente, carregando as seis placas. Ele é branco, baixo, magro, cabelo preto, curto. Veste calça jeans, blusa cinza, bota preta e luvas pretas.

O telefone da senhora que está na recepção toca e ela atende.

Agora, estamos na recepção eu, Elisa e a senhora que está aguardando o Rômulo.

Um senhor passa pela minha frente. É branco, baixo, magro, grisalho e careca. Veste calça cinza, blusa social amarela e sapato preto. Ele passa pela minha frente novamente.

Duas senhoras passam pela minha frente.

Um senhor passa pela minha frente. É branco, baixo, magro, grisalho e careca.

Um senhor passa pela minha frente, carregando uma garrafa térmica.

Uma senhora passa pela minha frente. É negra, baixa, gorda, e cabelo preto, preso num coque.

Uma senhora passa pela minha frente. É branca, alta, magra, cabelo comprido, preto, liso. Veste um vestido estampado, branco e lilás, uma sandália baixa bege e uma bolsa preta.

O telefone da Elisa toca.

- Você veio da parte de que funcionário?

- Alfredo.

- Da agência Rodoviária, né?

- Isso.

A senhora que estava aguardando passa pela minha frente. É branca, baixa, magra, cabelo loiro, liso, e usa óculos. Veste um vestido estampado, azul, curto, um sapato alto, de bico fino, bege, e uma bolsa dourada.

Elisa fica de pé, arruma algumas coisas e senta novamente.

Um senhor passa pela minha frente. Carregando um casaco e uma mala.

- Bom dia.

- Bom dia.

Elisa passa pela minha frente.

Ninguém na recepção, novamente.

Um senhor passa pela minha frente. Carrega uma pasta e uma mala. Suspira. É branco, baixo, magro, tem o cabelo curto, claro, e é calvo. Usa óculos e masca chiclete.

Ninguém na recepção, novamente.

Celular vibra. Whatsapp da paciente. Respondo.

Um senhor passa pela minha frente, carregando uma garrafa térmica. É mulato, alto, magro, e grisalho.

Ninguém na recepção, novamente.

Elisa passa pela minha frente e senta na sua cadeira, de frente para a sua mesa.

- Ana, bom dia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário