domingo, 19 de janeiro de 2014

Em observação, na Neide's Coiffeur - 3

Hoje é segunda-feira. São 14h18.

Estou na Neide’s Coiffeur, em Copacabana, fazendo o cabelo.

Estou sentada em uma cadeira. Do lado direito, a entrada do salão. Do lado esquerdo, os fundos do salão. Atrás de mim, uma espécie de corredor, onde as pessoas passam.

Exatamente ao meu lado direito, a cadeira vazia.

Ao meu lado esquerdo, Moisés em pé, pinta meu cabelo. Ele é moreno, alto, forte, e cabelo preto, curto, raspado. Veste calça jeans, e blusa preta, do uniforme do salão. Usa luvas transparentes e trabalha em silencio.

A garçonete passa atrás de mim. É branca, magra, alta, e tem o cabelo preso. Vestida toda de branco e carrega uma bandeja com taças de champanhe.

Moisés vai para trás de mim e continua pintando meu cabelo agora, atrás de mim. Ele sai de trás de mim. 

Uma cabeleireira pára ao meu lado e guarda algo na sua maleta. É mulata, gordinha, baixinha. Tem o cabelo encaracolado, um pouco alorado.

Uma moça passa atrás de mim. É branca, alta, magra.

Moisés volta ao meu lado e pára atrás de mim. Pára ao meu lado direito, afasta algumas coisas, ajeita as coisas.

- Amiga, você quer mais alguma coisa?

- Não, obrigada.

- Vou deixar você aí no tempo da tinta e vou almoçar, tá? Na volta a gente lava, tá?

- Tá ótimo, bom almoço.

- Obrigado.

- A senhora aceita mais uma taça de champanhe?

- Não, muito obrigada.

Uma senhora passa atrás de mim. É branca, alta, magra, cabelo preso, num coque. Anda em direção à saída do salão.

Uma cabeleireira passa atrás de mim.

A senhora passa atrás de mim. Anda em direção aos fundos do salão.

Um senhor passa atrás de mim. É mulato, alto, magro. Cabelo preto e usa barba. Veste calça preta e blusa social azul, e sapato preto. E passa novamente. E passa novamente.

Moisés passa ao meu lado, pega algo em seu balcão e entra em direção aos fundos do salão.

Uma manicure passa atrás de mim. E passa novamente.

Uma cabeleireira passa atrás de mim, pára ao meu lado, e passa novamente atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim, carregando uma vassoura.

Uma manicure passa atrás de mim. É branca, gordinha, baixa, e cabelo liso, vermelho. E passa novamente atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim. É magra, alta, cabelo liso, comprido, preto.

A garçonete passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim. E passa novamente.

Uma manicure passa atrás de mim. Outra manicure passa atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando o balde de colocar os pés.

A garçonete passa atrás de mim, carregando um pano. Anda em direção aos fundos do salão.

Uma senhora passa atrás de mim. É negra, alta, magra. Tem o cabelo encaracolado, preso, no alto da cabeça. Veste uma calça legging verde, uma blusa preta, uma meia preta e um tênis colorido. Carrega uma bolsa beje claro.

A garçonete passa atrás de mim, carregando uma bandeja com taças de champanhe.

Uma cabeleireira senta ao meu lado direito. É mulata, gordinha, alta, cabelo liso, na altura do ombro. Veste uma calça preta e a blusa do uniforme.

Um cabeleireiro passa atrás de mim. É alto, magro, mulato.

A garçonete passa atrás de mim, carregando uma bandeja com taças de champanhe.

A cabeleireira ao meu lado direito mexe no cabelo, coça o olho. Olha para a senhora ao seu lado e conversa com ela.

A garçonete passa atrás de mim.

O cabeleireiro passa atrás de mim, carregando algumas coisas.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim. E passa novamente, carregando seu banquinho.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando seu banquinho.

A garçonete passa atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim. É branca, alta, magra.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando o carrinho de esmaltes.

A cabeleireira que estava sentada ao meu lado direito levanta e sai.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Duas cabeleireiras passam atrás de mim, e uma delas pára ao meu lado esquerdo.

Uma manicure e um senhor passam atrás de mim.

Uma cabeleireira senta ao meu lado esquerdo. É mulata, gordinha, e tem o cabelo encaracolado, curto, um pouco alorado. Veste calça jeans e a blusa preta, do uniforme do salão. Calça sandália marrom. Mexe no celular e assiste a televisão.

Uma manicure passa atrás de mim.

Moisés passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim. É negra, magra, alta, cabelo comprido, encaracolado, preso num rabo de cavalo.

A garçonete passa atrás de mim.

Uma cabeleireira e duas manicures passam atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim.

A cabeleireira sentada ao meu lado esquerdo levantou-se e saiu.

Uma cabeleireira sentou ao meu lado direito.

Uma manicure passa atrás de mim. é branca, magra, baixa. Tem o cabelo preto, comprido e liso, preso num rabo de cavalo. Veste calça jeans, e a blusa branca, do uniforme do salão.

Um senhor passa atrás de mim carregando um saco.

Uma manicure passa atrás de mim carregando dois sacos plásticos de mercado.

Uma manicure passa atrás de mim.

A cabeleireira que estava sentada ao meu lado esquerdo volta e mexe em algo do meu lado esquerdo, passa atrás de mim e sai.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim.

A cabeleireira do meu lado esquerdo passa atrás de mim. E passa novamente.

Uma senhora passa atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim.

A cabeleireira do meu lado esquerdo passa atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim, carregando a bandeja com taças de champanhe.

- Aceita mais uma água?

- Não, muito obrigada.

- Nada.

A cabeleireira do meu lado esquerdo está ao meu lado esquerdo, mexendo em uma maleta.

A garçonete passa atrás de mim.

A cabeleireira, agora, passa atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim. É branca, alta, magra, cabelo claro, liso, comprido. Veste short jeans, blusa regata, branca, com listras azuis.

Uma manicure passa atrás de mim.

Um cabeleireiro e uma senhora passam atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim. É branca, baixa, magra, tem o cabelo liso, e loiro, preso num rabo de cavalo, e usa óculos. Veste calça preta e blusa branca, do uniforme do salão.

Um cabeleireiro e duas senhoras passam atrás de mim. E ele passa novamente atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma senhora passa atrás de mim.

O cabeleireiro passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando o balde de colocar os pés. É a moça loira, de óculos.

- Vai querer dar uma puxadinha, amor?

- Pode, pode puxar.

- Pode?

- Pode.

Moisés, agora, está atrás de mim, fazendo massagem no meu cabelo. Acabou e saiu.

Uma cabeleireira senta ao meu lado direito.

O cabeleireiro passa atrás de mim, bebendo água.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando o balde de colocar os pés.

A garçonete passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim.

Uma manicure passa atrás de mim, carregando o balde de colocar os pés.

Uma manicure passa atrás de mim.

A garçonete passa atrás de mim, e passa novamente.

Uma senhora passa atrás de mim. É branca, alta, bem gorda. Cabelo liso, comprido, vermelho.

Uma manicure passa atrás de mim.

- Vamos lá, amor?

- Bora.

(...)

Agora são 15h15. Estou no mesmo local, no mesmo salão. Agora, Moisés está atrás de mim, cortando meu cabelo. Ele e eu em silêncio.

Ninguém aos meus lados direito e esquerdo.

Não consigo mais ver quem passa atrás de mim, pois, atrás de mim, vejo apenas o Moisés trabalhando.

- Luana, faço uma camada aqui ou deixo fio reto?

- Pode deixar uma camadinha.

- Posso fazer uma camadinha?

- Pode.

Voltamos, eu e Moisés, a ficar em silêncio. Ele, trabalhando. Eu, fotografando gente.

- Não faz muita camada não, pelamordeJesus.

- Não, é baixinha, só na pontinha mesmo.

- Tá.

Ambos rimos. E voltamos ao silêncio.

- Aqui na frente você pode tirar também, não precisa deixar como está não.

- Tá. Aham.

Voltamos ao silêncio.

- Quer que eu abaixe?

- Não, assim tá ótimo.

Voltamos ao silêncio.

- Atrás você deixou fio reto ou fez camada?

- Fiz uma leve camada, não da pra ficar fio reto não, se não, fica quadrado.

- Ah, entendi.

- E na frente? Tira?

- Tira.

- Assim acho que tá bom, não tá?

- Ta ótimo.

- Deixa eu medir, vê agora. Ficou bom?

- Ficou perfeito. Muito obrigada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário