quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Em observação, no escritório do pai - 12

Hoje é quinta-feira. São 11h40.

Estou no escritório do pai, na sala de reunião, aguardando meus candidatos para 12h.

A porta que dá acesso à recepção está fechada; a que dá acesso a sala do meu pai está aberta.

Janela fechada, luz acesa, ar condicionado ligado.

Tudo silencioso, apenas com o barulho do ar condicionado.

A porta abre, Adriana entra.

- Pra você, meu amor.

- Obrigada, Adri, vou pegar.

Meu pai passa pela minha sala.

- Ainda não vou meter a porrada no seu Salles não.

- Tá bom, pai. Fecha só essa porta aí e fala um pouco mais baixo que eu vou entrevistar, tá?

- Tem uma pessoa ali fora.

- Eu sei, vou pegar.

Ele sai e fecha a porta atrás dele.

Agora são 12h23. Estou no mesmo local. Apenas, agora, as duas portas estão fechadas (a que dá acesso a recepção e a que dá acesso à sala do meu pai).

Tudo silencioso, apenas com o barulho do ar condicionado ligado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário