segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Em observação, no dermatologista

Hoje é terça-feira. São 14h59.

Estou no consultório do doutor Alberto,em Copacabana, aguardando ser atendida.

Estou em uma recepção grande, com outras pessoas. Na minha frente, parte da recepção. Ao meu lado direito, uma cadeira vazia com minha mochila em cima.

Ao meu lado esquerdo, uma senhora está sentada, vendo novela. É negra, magra, baixa, cabelo curto, preto. Veste calça jeans, escura, blusa sem manga verde, sandália bege, com detalhes verdes. Tem as pernas cruzadas e uma bolsa marrom, no seu colo. Carrega, também, uma sacola grande da Rede D’Or. Está recostada, assistindo novela. Descruza as pernas.

Uma senhora passa pela minha frente. É mulata, gordinha, alta, e cabelo curto, preto. Está com calça branca, blusa branca e sapato branco.

Uma senhora passa pela minha frente. É mulata, gorda, alta, cabelo preto, liso. Veste um vestido estampado, sapatilha dourada e bolsa preta. E passa novamente na minha frente. E passa novamente.

A senhora ao meu lado agora, está com as pernas descruzadas , as mãos cruzadas sobre o colo e recostada, na cadeira, assistindo a novela.

- Obrigada.

- Muito obrigada.

- Nada.

Pego a carteirinha da recepcionista para a senhora que está sentada ao meu lado direito, com uma cadeira de distancia entre a gente.

A senhora de vestido estampado passa na minha frente. E passa novamente.

A senhora ao meu lado esquerdo está de olhos fechados, cochilando. Abre os olhos e, agora, assiste a novela. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário