terça-feira, 26 de novembro de 2013

Momentos

Há o momento de respirar.
E o momento de prender a respiração.

Há o momento de segurar.
E o momento de deixar(-se) ir.

Há o momento de pedir.
E o momento de receber (mesmo que de si mesmo).

Há o momento de ler.
E o de escrever.

O momento de falar.
E o de calar.


Há o momento de um, dois, três.
E o momento de ser. Apenas ser.

Há o momento de plantar.
E o de esperar.
E o de colher.
E o de se alimentar.

E o de não esperar mais.

E aí, quando vem
A não-mais-espera.

Torna-se livre.

2 comentários:

  1. Lindíssimo, Lu!!! Um texto que, para além de revelar alguém que encontrou o amado, revela alguém que se encontrou, a si mesma... Muito feliz por você, Lu!!! Você merece ser Feliz, com toda essa riqueza de sentidos!!!

    ResponderExcluir