terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Em observação, na Loreal - 3

Hoje é terça-feira. São 15h35.

Estou na Loreal, na recepção, aguardando ser atendida.

Estou sentada em um sofá, na beirada. Do meu lado direito, o braço do sofá e mais no extremo, a porta de entrada da Loreal, de vidro. Na minha frente, um (teoricamente) corredor, onde as pessoas passam. Do meu lado esquerdo, uma moça está sentada. É mulata, gordinha, cabelo encaracolado, comprido, molhado. Usa óculos. Veste um vestido cinza. Curto, e uma sandália bege. Tem um relógio verde fluorescente e tem papéis na mão.

Uma moça passa na minha frente. É mulata, alta, gordinha, cabelo comprido, castanho, preso num rabo de cavalo. Veste um vestido estampado, curto, e uma sandália bege.

A moça ao meu lado, agora, recostou-se no sofá. Pernas e braços cruzados.

A moça mulata, alta passou novamente na minha frente.

- A bolsa.

A moça ao meu lado descruzou os braços e mexe nas unhas.

- A porta do desespero.

A moça ao meu lado cruzou os braços.

Uma senhora sai da porta de vidro e passa na minha frente.

A moça ao meu lado estala os dedos. Ela abraça uma outra menina.

- Suelen. Suelen.

A moça ao meu lado levanta e entra na porta de vidro da Loreal.

Ninguém ao meu lado esquerdo, agora.

Uma senhora passa na minha frente e entra na porta de vidro, da Loreal.

Uma moça senta ao meu lado esquerdo, agora. É mulata, gordinha, alta. Tem cabelo encaracolado, comprido, preto. Usa óculos. Veste calça jeans preta, blusa estampada. Está sentada na beirada do sofá.

Um senhor passa na minha frente e entra na porta de vidro.

A moça ao meu lado coça o joelho e a perna. Coça o rosto e ajeita o óculos.

Uma senhora passa na minha frente. É mulata, baixa, magra, cabelo curto, preto. E passa novamente na minha frente em direção a porta de vidro.

Uma senhora sai da porta de vidro e passa na minha frente. É mulata, alta, gordinha e usa óculos. Tem o cabelo liso, preso num coque, atrás. Veste calça jeans e blusa vermelha.

A moça ao meu lado olha para os lados.

Uma senhora sai da porta de vidro e passa na minha frente. Outra senhora também. A primeira é baixa, gordinha, mulata. Tem o cabelo castanho, liso, preso num coque, atrás.

A moça ao meu lado abre a bolsa e atende o celular.

- Oi. Oi filho. Oi, amor. Agora. Tou indo agora. Estou indo agora. Não. Não. Ainda não. Não. Não. Já tou indo. Aham. Estava sim. Estava sim. É. Carregando pedra. Tchau.

Ela desliga o celular e guarda na bolsa. Fecha a bolsa (que é bege) e coloca-a no seu colo. Ajeita o cabelo. Levanta-se do sofá e anda para o outro extremo.

Ninguém ao meu lado esquerdo nem ao meu lado direito.

Ela passa na minha frente, agora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário