sábado, 7 de junho de 2014

As amigas e a meditação

Ela aprendeu a correr. Re-aprendeu a caminhar. A respirar, a olhar.

São muito amigas. 

A que corre, é meio surda. Com os fones de ouvido, então, mais ainda. Quando corre, coloca os fones e uma música qualquer. Pode ser funk, música clássica, ou qualquer-outro-som..

Elas encontraram-se depois, bem depois. Grandes amigas.

- Lua, você não viu que te chamei?
- Não, quando?
- Na praia, você estava correndo.
- Nossa, não te ouvi... Perdão.
- Mas você olhou na minha direção, sua louca!
- Olhei?
- Lógico. 
- É que eu estava meditando.
- É, você não é normal. Ninguém medita correndo. Cadê a posição de lótus? O silêncio? Os olhos fechados?

Então a amiga que corre explicou, ainda que apenas na teoria:


  • Correr (pode ser caminhar) significa movimento;
  • Precisa ter um propósito. Caminhar no shopping não vale;
  • Tem que ser "caminhar" ou "correr" em algum local que seja a "sua casa";
  • O ar entra. O ar sai. Você sente, fisicamente, o ar entrando e saindo;
  • Na praia, o ar entra-e-sai com cheiro de mar;
  • Você sente o corpo em movimento: os pés tocam o solo. O ar toca o corpo. O vento bagunça os cabelos curtos;
  • O olhar pode estar em qualquer lugar, ou em lugar nenhum. Pode ser o ciclista, a criança, o cão, a areia, o mar, o pequeno movimento da nuvem. Pode ser até você, amiga. O olhar em você. Mas o olhar está pro lado de dentro;
  • E o pensamento? Zero. Só corpo. E respiração. 
A amiga olhou. Em silêncio. Foi sorrindo, aos poucos. [Seu olhar já estava sorrindo, antes de sorrir-aos-poucos]

- Você me ensina a meditar?
- Você gosta de ler?
- Gosto. Mas que tem a ver?
- Você gosta de ler romances?
- Gosto.
- Onde você lê romance?
- No ônibus, no trânsito, indo pra casa.
- Quando você começa e ler e, de repente, já passou um tempão e você está chegando em casa e você nem sentiu?
- Sei.
- E você viveu aquele cenário, que estava lendo? Que você estava lá? Nem sentiu sua perna ficar dormente? Nem ninguém sentar ao seu lado? E levantar? E outra pessoa sentar ao seu lado? Até o seu lado ficar vazio de novo?

A amiga, agora, gargalhava.

- Sei bem o que é isso.
- É um sentimento bom?
- Muito. Muito bom.
- Então você já sabe meditar, gata. Seja bem-vinda.

Te amo, Sandra. <3

2 comentários: